INFORMAÇÃO É PODER

DADOS, DICAS E RECEITAS DE VIDAS SEM GLÚTEN



domingo, 28 de maio de 2017

Uma outra receita de donuts

Apesar de já ter algumas entradas no blog com receitas de donuts, experimentei uma nova versão que tinha visto há já bastante tempo no blog Celiaquines. A pretexto de uma festa infantil, e como receitas bem sucedidas de donuts sem glúten nunca são demais, decidi-me a pôr, mais uma vez, as mãos na massa. A receita original leva leite e manteiga, mas experimentei com versões vegetais, de modo a ser acessível a quem tem que evitar lacticínios. Acabou por ser realmente um sucesso, já que os donuts desapareceram literalmente em cinco minutos!

Ingredientes:
200 gramas de farinha panificável Área Viva Continente
100 gramas de farinha de arroz Ceifeira
50 gramas de farinha Schar Dunkel Brot
50 gramas de polvilho doce
240 gramas de leite de amêndoa
8 gramas de fermento seco
100 gramas de açúcar fino
2 gemas de ovo
60 gramas de margarina Vitaquell à temperatura ambiente
8 gramas de vinagre
Óleo vegetal (para fritar)
Algumas sementes de cardamomo esmagadas
1 colher de chá de essência de baunilha

Na cuba da sua batedeira, misture as farinhas com o fermento e o açúcar. Junte depois o leite, as gemas, o vinagre, a baunilha e as sementes de cardamomo. Deixe bater muito bem, acrescente a margarina e torne a bater durante 5 a 10 minutos. Leve a massa depois a levedar a frio (no frigorifico) durante 8 a 12 horas, num recipiente bem tapado.

Estire a massa entre duas folhas de papel vegetal oleadas até esta ter uma espessura de 1/1,5 centímetros. No meu caso, eu usei um cortador de donuts para cortar a massa, mas pode-se improvisar com um copo e uma tampa de garrafa. Reaproveitando os círculos de massa que sobram, esta receita deverá render entre 15 a 16 donuts. Deixe então os donuts a levedar de novo, tapados com uma das folhas de papel vegetal durante 30 a 45 minutos.

No final deste período, aqueça o óleo a 190°C, coloque 3 a 4 donuts na fritadeira e frite um minuto de cada lado. Coloque os donuts em cima de bastante papel absorvente e aplique a cobertura que pretender, assim que possível: ganache de chocolate, glacé, açúcar em pó com canela… A imaginação é o limite!


















sábado, 6 de maio de 2017

Bolo de morangos

Uma receita deliciosa, com fruta da época e mesmo a tempo para o Dia da Mãe... 

Ingredientes:
4 ovos
150 gramas de açúcar
125 gramas de fécula de batata
1 colher de chá de essência de baunilha

Para a cobertura:
350 gramas de morangos frescos
110 gramas de açúcar
1 colher de sopa de vinho do porto

Comece com o bolo: separe as claras das gemas e bata-as em castelo. Reserve. Na cuba da sua batedeira, bata as gemas com o açúcar e a baunilha até obter um creme amarelado, 5 a 7 minutos na velocidade alta. Junte depois a fécula e bata até estar tudo bem misturado. Por fim, junte as claras em castelo com cuidado. Verta num tabuleiro forrado com papel vegetal e leve ao forno pré-aquecido a 160C durante 25 a 30 minutos (até um palito inserido no meio sair seco).

Enquanto o bolo coze, prepare a cobertura: leve ao lume uma panela com o açúcar e o vinho do porto; quando derreter, junte os morangos (arranjados e lavados). Deixe cozer até os morangos amolecerem e se formar uma espécie de compota. Reserve.

Quando o bolo estiver cozido, deixe arrefecer um pouco e depois desenforme. Cubra então o bolo com os morangos, deixe arrefecer de novo e sirva.



























terça-feira, 2 de maio de 2017

Dificuldades a bordo

Nada como começar o mês de Maio, mês da consciencialização celíaca, com uma notícia que seria cómica se não fosse uma mostra do que ainda há para evoluir nesse campo: um passageiro inglês, celíaco, pediu com antecedência uma refeição sem glúten para o seu vôo de nove horas entre Tóquio e Sidney, com a companhia japonesa ANA. Isto foi o que lhe entregaram como pequeno almoço:

















Notícia daqui.


quinta-feira, 27 de abril de 2017

Bolos levedos dos Açores sem glúten

Andava há muito tempo para experimentar fazer bolos levedos sem glúten, mas ia sempre adiando. No feriado do 25 de Abril decidi que seria esse o dia. A primeira vez que os provei foram-me trazidos dos Açores por uma boa amiga  e foi amor à primeira dentada. Com a dieta, nunca mais entraram lá em casa até terça-feira passada. Usando a receita tradicional que se encontra em vários sites, adaptei para as farinhas sem glúten (e sem lacticínios) e foi um sucesso redundante: o sabor e a textura são iguais e mantém-se frescos até hoje, dois dias depois. Uma receita que certamente repetirei muitas vezes.

Ingredientes:
300 gramas de farinha Schar Mix B
110 gramas de farinha panificável sem glúten Continente
60 gramas de farinha Schar Brot Mix Dunkel
30 gramas de polvilho doce
2 gramas de psílio em pó
8 gramas de fermento seco
125 gramas de açúcar
2 ovos L
Raspa de meio limão
250 ml de leite vegetal de amêndoa
Sal fino q.b.
125 gramas de margarina Vitaquell (ou manteiga) à temperatura ambiente

Na cuba da sua batedeira, misture as farinhas com o psílio, o açúcar e o fermento até obter uma cor homogénea. Junte os ovos e a raspa do limão e bata um pouco; com a batedeira ligada, vá acrescentando o leite. Por fim, junte a margarina com um pouco de sal fino e deixe bater cerca de 10 minutos até estar tudo misturado. Tape a cuba com um plástico e deixe a levedar entre 1 a 2 horas- preferencialmente, deixe levedar dentro do frigorífico durante a noite.

No final do período de levedação, forme cerca de 10 a 12 bolas e achate-as, dando-lhes a forma de discos em cima de papel vegetal. Tape e deixe levedar mais 30 minutos.

Por fim, coloque os discos numa frigideira anti-aderente e deixe cozinhar em lume brando durante cinco minutos de cada lado. Deixe arrefecer se quiser ou sirva morno, simples ou para barrar.













terça-feira, 25 de abril de 2017

Farinheira sem glúten

Há já algum tempo que sei que a marca Fumeiros da Guarda tem uma gama de produtos sem glúten de nome Ancestral, mas ainda não a tinha encontrado. Nesta, a maior novidade é a farinheira que não existia no mercado sem glúten. No entanto, encontrei-a agora no Pingo Doce a 2,19€ a unidade. Assim e, depois da alheira, temos agora a farinheira para alegria dos celíacos mais a Sul onde esta especialidade é mais conhecida. No entanto, como é feita com pão com amido de trigo sem glúten, não é apta para alérgicos ao trigo. Fica a dica.















segunda-feira, 10 de abril de 2017

Bolachas com pepitas de chocolate: a versão final

Embora já tendo duas receitas de bolachas de pepitas de chocolate no blog, não resisto a publicar a última tentativa e a que melhor reproduziu as bolachas na sua versão com glúten. Talvez o segredo seja o uso da farinha panificável da Schar, talvez seja a longa refrigeração, mas o facto é que estas bolachas saíram perfeitas e são fáceis de fazer. O mais difícil é não comê-las todas de uma vez. A receita é do blog Gluten Free on a Shoestring da fantástica Nicole.


Ingredientes:
105 gramas de farinha Doves Farm White Self Raising
15 gramas de Maizena
120 gramas de farinha Schar Mix B
½ colher de chá de bicarbonato de sódio
½ colher de chá de fermento em pó
½ colher de chá de sal fino
100 gramas de açúcar branco
110 gramas de açúcar mascavado claro
140 gramas de manteiga/margarina (uso Vitaquell)
1 ovo L
1 colher de chá de essência de baunilha
160 gramas de pepitas de chocolate (uso do Mercadona)

Na cuba da sua batedeira, misture as farinhas com o sal, o fermento, o bicarbonato e o açúcar branco. Junte depois o açúcar mascavado e misture com as mãos para desfazer os grumos. Junte a manteiga/margarina à temperatura ambiente e bata bem até obter uma espécie de areia. Acrescente depois o ovo e a baunilha e bata muito bem. Finalize com as pepitas, envolva bem, e, por fim, embrulhe a massa em película transparente. Guarde no frigorífico durante, pelo menos, 24 horas.

Quando tiver passado o período de refrigeração, retire do frigorífico e forme bolas de massa, ligeiramente menores de uma bola de ping-pong. Coloque-as num tabuleiro forrado com papel vegetal com bastante espaço entre elas pois a massa vai espalhar. Leve ao forno pré-aquecido a 160ºC com calor em cima e em baixo, durante aproximadamente 12 minutos, até as bordas começarem a dourar. A meio da cozedura pode ligar a ventilação para ajudar a dourar. Retire o tabuleiro do forno e deixe as bolachas arrefecerem 5-6 minutos e só depois retire-as para uma rede onde acabarão de arrefecer. Guarde numa lata própria para bolachas onde aguentam bem 5 a 7 dias (se resisitirem às investidas de mãos pequenas até lá, claro).

Rende cerca de 30 bolachas de tamanho médio. 






















sexta-feira, 31 de março de 2017

Mais produtos no E. Leclerc

Para terminar em grande o mês de Março, descobri que os supermercados E. Leclerc aumentaram à sua já generosa oferta de produtos sem glúten com novas massas frescas: à semelhança do Continente, também podemos encontrar nesta cadeia francesa massa fresca sem glúten, em formato tagliatelle (2,69€ / 250 gr.), gnocchi (2,69€ / 400 gr.), e massa para pizza (2,30€ / 260 gr.). 

Já comemos os gnocchi e, envoltos em molho de tomate, foram um sucesso lá em casa. Fica a dica.



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...