INFORMAÇÃO É PODER

DADOS, DICAS E RECEITAS DE VIDAS SEM GLÚTEN



quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Hóteis sem glúten

Uma notícia que vi hoje no Sapo Viagens e que merece ser partilhada:

"Vila Galé com pequeno-almoço sem glúten

Esta opção estará disponível a partir de 1 de dezembro nos 20 hotéis do grupo em Portugal. E não representa custos adicionais para os hóspedes que tenham este tipo de necessidades alimentares.

Este pequeno-almoço – que inclui diferentes tipos de pão, cereais e pastelaria isentos de glúten, lacticínios e sumo – segue as recomendações da Associação Portuguesa de Celíacos. “Sabemos que o número de pessoas com intolerância ou alergia ao glúten tem vindo aumentar e queremos ter uma oferta alimentar que responda às suas necessidades de saúde. Ao disponibilizarmos um pequeno-almoço apto para celíacos, queremos reforçar a confiança destes hóspedes, assegurando-lhes que tivemos todos os cuidados necessários na escolha, preparação e confeção dos alimentos que o compõem, sem risco de contaminações cruzadas», explica o diretor de Alimentação e Bebidas da Vila Galé, Miguel Santos.

“Ao garantir a sua segurança e a sua saúde, trata-se de prestar um melhor serviço, até porque não há ainda muitos hotéis em Portugal com oferta pensada para este público”, acrescenta."


quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Pão com chouriço

Depois do pão com salpicão, hoje é a vez do pão com chouriço: quentinho, a transbordar de chouriço e acompanhado pelo tradicional caldo verde soube-nos pela vida. Só quem passa pelas barracas do pão com chouriço nas feiras, sente o cheiro e continua sem parar, pode apreciar o que é reproduzi-lo com sucesso em casa. De certeza, uma receita a repetir- congela bem e é uma óptima ideia para um lanche rápido fora de casa.

Ingredientes:
240 gramas de farinha para pão da Área Viva Continente
180 gramas de farinha Schar Mix B
40 gramas de farinha Schar Brot Dunkel
40 gramas de polvilho doce
4 gramas de psílio em pó
5 gramas de fermento seco
420ml de água morna
5 gramas de vinagre
5 gramas de açúcar
10ml óleo vegetal
Chouriço sem glúten a gosto

Na cuba da sua batedeira misture as farinhas com o psílio e o fermento até obter uma mistura de cor uniforme. Num copo misture a água com o vinagre, açúcar e óleo e junte-a aos ingredientes secos. Deixe bater durante cerca de 10 minutos em velocidade média.

Tape a cuba e deixe a massa levedar durante uma hora. No final desse período, coloque uma folha de papel vegetal na bancada e polvilhe com farinha de arroz: divida a massa em dois, e estique cada metade com um rolo até obter uma espessura de 2 centímetros. Espalhe o chouriço tal como indicado na foto e enrole; corte o rolo de massa em partes iguais e repita com a outra metade. Arredonde os pedaços de massa e deixe a levedar tapados em local morno durante meia hora.

Coloque um pequeno recipiente de ir ao forno com um dedo de água a ferver no fundo do forno para uma crosta mais crocante, e ligue o forno a 200ºC. Passados cinco minutos, leve então os pães a cozer durante 30 minutos, retire, deixe arrefecer levemente e sirva.

Rende 10 unidades.


























segunda-feira, 14 de novembro de 2016

Bolo de castanha e chocolate

Uma receita que já não vem a tempo do São Martinho, mas que é da época e fácil de fazer. Este bolo, cuja receita vi no site Un Cuore di Farina Senza Glutine, é uma receita tradicional italiana e, usando apenas farinha de castanha, é naturalmente sem glúten. No meu caso, usei uma parte de farinha Doves Farm porque receei que, usando apenas farinha de castanha, ficasse com uma textura mais frágil.

O sabor a castanha não transparece, apenas aquele do chocolate e da laranja. A textura é húmida e pede um líquido a acompanhar, tornando-o uma boa opção para um lanche de bolo e chá. A farinha de castanha nem sempre se encontra isenta de glúten, mas a marca Bauckhof, à venda no Celeiro, é uma opção segura.

Ingredientes:
200 gramas de farinha de castanha 
50 gramas de farinha Doves Farm White Self Raising
1 colher de sopa de fermento em pó
125 gramas de açúcar
2 ovos M
35 gramas de chocolate em pó
Raspa de meia laranja
50ml óleo vegetal/azeite
200ml leite/leite vegetal

Misture as farinhas com o fermento e o chocolate em pó. Reserve.

Na cuba da batedeira, bata os ovos com o açúcar e a raspa de laranja até obter um creme amarelo pálido. Acrescente colheradas de farinha com a batedeira a funcionar, alternando com o leite. Por fim, acrescente o óleo aos poucos e bata até a massa borbulhar um pouco.

Coloque a massa numa forma de 20 a 22 cms. de diâmetro, untada e enfarinhada e leve ao forno pré-aquecido a 180ºC durante 30 minutos. Retire do forno, deixe arrefecer ligeiramente e desenforme. Decore a gosto.


























terça-feira, 8 de novembro de 2016

Livro "Delícias Sem Glúten"

Mesmo a tempo para o Natal, há mais um livro de receitas sem glúten nas livrarias portuguesas, de seu nome "Delícias Sem Glúten", que é a versão traduzida do original de Susanna Booth, Gloriously Gluten Free

São mais de 100 receitas de sopas, saladas, snacks, refeições completas, sobremesas e doces, num livro de capa dura com o preço de 18,80€.

Para quem necessita de evitar a lactose, existe também outro novo livro com o título "Delícias Sem Lactose".


Index da versão Inglesa - clicar para aumentar



domingo, 6 de novembro de 2016

Novos produtos

O número de produtos sem glúten continua em ritmo ascendente: desta vez encontrei farinha sem glúten no Lidl (será para breve o retorno das suas massas sem glúten?) da marca Belbake. Nas lojas espanholas do Lidl andam a fazer sensação as farinhas da marca italiana Farmo, mas aqui, para já, temos apenas a da Belbake. Comprei para experimentar, mas ainda não tive oportunidade disso. Custa 1,99€ o pacote de 450 gramas que já traz fermento incorporado.

Encontrei também massas frescas sem glúten da marca Chaque Jour no E Leclerc: massa folhada e massa quebrada, a 1,99€ cada. De notar que esta cadeia francesa de supermercados tem vindo a oferecer um leque cada vez maior de produtos sem glúten.

Ficam então as dicas.




























quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Bolo do caco sem glúten

Com a entrada do Outono é inevitável não pensar em receitas com abóbora, batata-doce e maçã. Se a isso juntarmos um produto que está na moda, como o bolo do caco, e que leva um ingrediente da época como o é a batata-doce, junta-se o útil ao agradável. Experimentei esta receita e ficamos fãs, não faz diferença nenhuma para o bolo do caco com glúten. Assim, não há desculpa para quem faz dieta sem glúten passar ao lado do hambúrguer do momento...

Ingredientes:
400 gramas de farinha Schar Mix B
50 gramas de farinha Schar Brot Dunkel
250 gramas de batata-doce assada sem a pele
5 gramas de fermento seco
400ml de água morna
8 gramas de sal fino


Asse a batata-doce e depois desfaça-a com um garfo até não ter grumos. Reserve.

Coloque as farinhas na cuba da sua batedeira com o fermento e a batata-doce. Ligue a batedeira e vá juntando a água aos poucos. Junte depois o sal. Deixe amassar durante 10 a 15 minutos até obter uma massa homogénea que se cola um pouco às mãos. Tape a cuba e deixe levedar durante uma hora.

Espalhe farinha de arroz em cima de uma folha de papel vegetal e forme 12 bolas de massa com aproximadamente 90 gramas cada. Espalme-as de modo a fazer pães redondos achatados, com mais ou menos 3 cm de espessura. Tape com um pano e deixe levedar de novo durante 20 a 30 minutos.

Coza numa frigideira/prancha anti-aderente, manuseando a massa com cuidado para não perder o ar. Deixe cozer de um lado 2 a 3 minutos até ganhar cor, depois vire com uma espátula e deixe cozer mais um minuto ou dois. Retire a farinha torrada da frigideira/prancha e vá colocando os restantes pães até terminar. Sirva mornos ou deixe arrefecer e congele.


























segunda-feira, 17 de outubro de 2016

Pavlova de frutos vermelhos

Mais um bolo da minha Mãe, seguindo uma receita da Ina Garten, para festejar mais um aniversário de família e que foi um verdadeiro sucesso, tendo a pavlova desaparecido num ápice. Obrigada Mãe!

Ingredientes:
4 claras à temperatura ambiente
200 gramas de açúcar
1 pitada de sal
2 colheres de chá de Maizena
1 colher de chá de vinagre
½ colher de essência de baunilha

Envolva todos os ingredientes na cuba da sua batedeira e bata até a massa formar picos. De seguida, numa folha de papel vegetal, faça um círculo de massa com 23 centímetros de diâmetro e forme uma pequena concavidade no centro da massa.

Leve ao forno pré-aquecido a 180ºC, reduza para 140ºC e deixe cozer durante uma hora. Deixe arrefecer dentro do forno.

Coulis de framboesa
Ingredientes:
265 gramas de framboesas
100 gramas de açúcar
60ml de água
Compota de framboesas q.b.
Licor de cassis (opcional)

Coloque os três primeiros ingredientes numa panela ao lume e deixe ferver durante quatro minutos. Junte depois a compota e o licor e triture tudo. Deixe arrefecer.

Chantilly
200ml de natas/natas vegetais para bater
2 colheres de sopa de açúcar
1 colher de chá de essência de baunilha

Bata bem todos os ingredientes até as natas ficarem firmes. Guarde no frigorífico.

Entretanto, arranje morangos, mirtilos e amoras q.b. ou outros frutos vermelhos que goste. Envolva-os no coulis. Coloque depois as natas no meio da pavlova, sobreponha os frutos vermelhos e regue com o restante coulis a gosto. Sirva de imediato.
































quinta-feira, 13 de outubro de 2016

Tortillas de maíz

Tivemos a sorte de receber recentemente uma tortilladora vinda directamente do México. Para quem gosta de tortillas, como nós lá em casa, é um grande presente... Se estão a perguntar o que é uma tortilladora, é um pequeno (mas pesado) aparelho que os mexicanos usam para acelerar o processo de produção das tortillas- semelhante a uma prensa, transforma pequenas bolas de massa em finos discos. É essencial para fazer tortillas? Não, mas dá muito jeito: quem não tem, pode sempre usar o rolo de estender ou achatar as bolas de massa com a ajuda de uma frigideira.

O passo seguinte foi encontrar a farinha certa para fazer as famosas tortillas de maíz. No México e nos Estados Unidos usam a harina masa da marca Maseca que é específica para fazer este tipo de comida (a nossa farinha de milho não dá o mesmo resultado). Nesses países, a marca Maseca garante a isenção de glúten, mas a embalagem que encontrei em Espanha dizia que podia conter vestígios de trigo (provavelmente por problemas de contaminação na moagem da fábrica italiana que a produz para a Europa). 

Deste modo, como quem não tem cão, caça com gato, optei por trazer farinha de milho branco da marca PAN que agora já é isenta de glúten. Apesar de nao serem bem a mesma coisa, usei a mesma receita das tortillas mexicanas e funcionou muito bem, ainda que o sabor seja diferente. Entretanto, já verifiquei que a marca Bob's Red Mill tem masa harina com garantia de isenção e já tratei de a encomendar para experimentar.




Ingredientes:
2 chávenas de farinha
1 1/2 chávenas de água
1 pitada de sal

Junte os ingredientes numa tigela e amasse com as mãos até obter uma bola de massa lisa. Divida em pequenas bolas com cerca de 55 a 60 gramas e achate-as em pequenos discos (como referido em cima, com o rolo, a parte de trás de uma frigideira ou uma tortilladora- caso use esta última, coloque um plástico entre as placas para melhor remover a massa).

Numa frigideira coza as tortillas, 30 segundos a 1 minuto de cada lado, até estas incharem. Guarde-as num pano limpo enquanto não termina, para não secarem. Recheie a gosto- já usamos bifanas desfiadas de uma vez, e noutra frango salteado com guacamole.









Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...